OUTROS DESTAQUES
Mercado
Telefônica quer ter seu melhor ano em banda larga em 2010; TV paga terá menos investimentos
segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010 , 18h27 | POR SAMUEL POSSEBON

A Telefônica reconhece que, do ponto de vista de crescimento nos serviços, 2009 não foi um ano bom. A empresa expandiu em apenas 100 mil unidades seu serviço de banda larga e aproximadamente o mesmo crescimento foi registrado em TV por assinatura. Segundo Antônio Valente, presidente da empresa, esse quadro deve se reverter em 2010 e a Telefônica se prepara para ter o "seu melhor ano em termos de crescimento" em relação ao serviço de banda larga, conforme afirmou o executivo em encontro com a imprensa nesta segunda, 22, em Brasília. A Telefônica também detalhou como devem ser focados os investimentos em 2010 em relação ao que aconteceu em 2009. Segundo Valente, no ano passado, dos R$ 2,2 bilhões que a Telesp investiu, R$ 790 milhões foram no serviço de voz, R$ 770 milhões em banda larga, R$ 300 milhões nos serviços de dados, R$ 160 milhões em TV por assinatura e R$ 190 milhões no restante das operações. Este ano, diz Valente, o montante total de investimento será aproximadamente o mesmo, mas a expectativa é um esforço maior em banda larga e voz e um pouco menos de investimentos em TV por assinatura.
PL 29
"Em TV paga, ainda buscamos um ambiente melhor para IPTV. Primeiro, existe a frustração com a velocidade de aprovação do PL 29. Também precisamos melhorar algumas coisas em nosso processo de instalação da rede de fibras na casa dos assinantes, que se mostrou complexo, e há negociações com os fornecedores que estamos fazendo para melhorar os custos", disse Valente. Ele ressaltou que a Telefônica ainda observa o que virá em termos de set-top boxes para IPTV em uma nova geração que deve ser lançada no meio do ano, e dependendo dessas condições, os investimentos poderiam até ser revistos. "Por enquanto, contudo, a prioridade é a banda larga". Da mesma forma, o executivo não espera que a TV por assinatura do grupo deverá ter o mesmo ritmo de crescimento do Speedy, apesar de a Telefônica retomar a oferta combinada. "Para algumas situações de alta densidade, precisamos competir com IPTV, mas isso depende do PL 29". A Telefônica, ainda assim, acredita que a Anatel fará bem se se antecipar à aprovação do projeto e abrir o processo de licitação de novas outorgas de cabo. "O PL 29 está maduro. Acho que ao chegar ao Senado, ele tramitará rapidamente".
Demanda
A Telefônica acredita que com os investimentos na rede e no serviço de atendimento em 2009, terá condições de atender à demanda por banda larga que pretende criar em 2010, mas ressalta que esses resultados ainda não serão vistos no primeiro trimestre. "Com as chuvas em São Paulo, preferimos manter a cautela e não permitir um crescimento maior nesse período".
Outra estratégia da Telefônica para 2010 é estancar a perda de base no serviço de telefonia fixa e, mais do que isso, ampliar o uso deste serviço. Uma campanha estimulando as pessoas a utilizarem o telefone fixo quando estão em casa está no ar e, segundo Valente, os resultados foram excepcionais, com expressivo aumento de contatos no call center solicitando mais informações. A Telefônica se orgulha de sempre ter tido um grau elevado de uso de sua rede fixa, mas reconhece que os problemas de 2009 tiveram reflexo também sobre este serviço.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS
Não Eventos
Top