OUTROS DESTAQUES
Metas de cobertura ficam mais simples por causa das teledensidades
quinta-feira, 23 de agosto de 2001 , 20h30 | POR REDAÇÃO

Segundo o conselheiro da Anatel José Leite, as metas de cobertura para as autorizadas são semelhantes às exigidas para as espelhos e espelhinhos. As empresas deverão obrigatoriamente operar o serviço local nas capitais dos Estados e em todas as cidades com mais de 200 mil habitantes – número pouco superior a cem em todo o país. Nestes casos, deverão atingir no primeiro ano de operação uma teledensidade de 0,6%; no segundo ano, 0,8% ;e no terceiro ano, 1%. Nas áreas onde não houver cidades com mais de 200 mil habitantes, a cobertura deverá se dar no município com a maior população. Quem quiser oferecer telefonia na cidade do Rio de Janeiro, por exemplo, terá metas bem factíveis: com 5,851 milhões de habitantes na cidade, deverão ser oferecidos 35 mil telefones no primeiro ano, 46,8 mil segundo ano e 58,5 mil no terceiro ano.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS

Principal encontro do mercado de satélites brasileiro

31 de agosto a 1 de setembro
Royal Tulip Rio de Janeiro, RJ, Brasil
Top