OUTROS DESTAQUES
Estratégia
Especialista mostra pontos negativos da separação das redes
terça-feira, 23 de outubro de 2007 , 15h45 | POR HELTON POSSETI

O que chamou a atenção na apresentação de Raúl Katz, diretor de pesquisa de estratégia do Columbia Institute for Tele-Information da Universidade de Columbia ? durante seminário Separação de Redes e Serviços no Contexto da Convergência realizado pelo Tele.Síntese ? foram os aspectos negativos da separação estrutural de redes e serviços, que começa a ser discutida no Brasil. Em primeiro lugar ele considera que a separação deve acontecer apenas após o ?fracasso dos modelos prévios de convergência?. Como conseqüência da separação estrutural, o especialista citou a perda do controle da rede e, conseqüentemente, a queda na qualidade de prestação do serviço. Além disso, segundo ele, a tendência é que o órgão regulador precise de mais gente para fiscalizar se a oferta para os novos entrantes está acontecendo de forma igualitária. ?É um processo complexo e custoso. E a agressividade do regulador no estabelecimento das tarifas limita o investimento em inovação?, alerta Katz.
Por outro lado, a Anatel tem uma posição muito mais favorável ao tema, apesar do assunto ainda estar circunscrito ao gabinete do conselheiro Pedro Jaime Ziller. José Eduardo Thyrso de Lara, assessor do conselheiro Ziller, enxerga uma diminuição na necessidade de regulação, inovação e eficiência na prestação de serviço. ?A separação estrutural gera concorrência e, conseqüentemente, redução de preços?, diz ele. Sobre um eventual aumento da ação do regulador, Thyrso de Lara afirma que hoje o regulador já tem esse papel de fiscalização. Com a separação estrutural, a agência não faria nada além do que já está previsto com relação à fiscalização.
Sobre a inibição dos investimentos levantada por Katz, Thyrso de Lara, lembrou que a British Telecom, através da empresa de rede Open Reach, anunciou investimento em expansão da cobertura em NGN para todo o Reino Unido. O técnico da Anatel respondeu também a crítica das incumbents de que a transparência pode ser obtida mesmo sem a separação. ?Como? Temos todo um arsenal para permitir a transparência, mas no entanto, não temos transparência?, afirma.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS

Principal encontro de lideranças do mercado de telecomunicações

19 de setembro a 20 de setembro
Royal Tulip Brasilia Alvorada, DF, Brasil
Top