OUTROS DESTAQUES
Serviços móveis
Apenas 2,6% dos usuários brasileiros navegam na internet pelo celular
terça-feira, 26 de agosto de 2008 , 16h52 | POR FERNANDO PAIVA

O uso de web browsing, ou seja, de navegação por sites da internet através de telefones celulares se restringe a apenas 2,6% dos usuários brasileiros, informa pesquisa realizada pela Nielsen Mobile no primeiro trimestre deste ano. Na Rússia e na China o percentual é maior: 11,2% e 6,8%, respectivamente. Entre os países pesquisados pela empresa o Brasil só ganha da Índia, onde a penetração de web browsing pelo celular é de apenas 1,8%. Nos EUA, esse percentual chega a 15,6%. O Brasil foi o único país da América Latina pesquisado. O diretor da Nielsen Mobile no Brasil, Mario Lynch, acredita que a penetração desse serviço aumentará no País ao longo deste ano por causa da 3G e isso deve aparecer na próxima edição da pesquisa, que será realizada em novembro. Um relatório da Nielsen sobre a Pesquisa está disponível na home page do site TELETIME.
A Nielsen entrevistou 5 mil usuários de telefonia celular com idades a partir de 15 anos em dez grandes cidades brasileiras entre fevereiro e março. A pesquisa perguntou às pessoas que serviços de valor adicionado (SVA) elas usaram nos últimos 30 dias. De acordo com o estudo, o SVA mais usado pelo brasileiro é o SMS: 60,1% dos assinantes de telefonia móvel no País haviam utilizado a ferramenta nos últimos 30 dias. Como era de se esperar, o uso do SMS é maior entre os mais jovens e diminui conforme a idade: 79,9% dos entrevistados com idade entre 15 e 24 anos usam SMS; enquanto apenas 37,4% daqueles com mais de 55 anos utilizam o serviço.
O segundo SVA mais usado no País, de acordo com a pesquisa, é a internet móvel, com 7,3% de penetração. Neste caso, foram incluídos usuários que navegam na internet ou que acessam webmails ou que utilizam serviços de mensagens instantâneas (IM) pelo celular.

Música e vídeo

O download de ringtones é um serviço usado por apenas 5,7% dos brasileiros. Novamente, quanto mais jovem a faixa etária, maior a penetração do serviço: 13,1% dos entrevistados com idades entre 15 e 24 anos costumam comprar ringtones; contra apenas 1,4% daqueles com mais de 55 anos.
Entre os entrevistados, 4,6% responderam que compram ou passam do PC para o celular músicas completas (full tracks). Os usuários na faixa entre 15 e 24 anos foram mais uma vez os campeões de uso, com penetração de 10,8%.
Chamou a atenção a pequena penetração de serviços de vídeo: apenas 0,2%. O percentual ficou abaixo de serviços de localização (0,6%) e até mesmo de upload de conteúdo para blogs ou sites de comunidades (0,6%). Vídeo foi a única categoria em que a faixa mais jovem não ficou em primeiro lugar: neste caso, as pessoas com idades entre 35 e 44 anos são as que mais usam o serviço, com penetração de 0,7%. Lynch acredita que com o 3G a utilização de vídeos também deve crescer bastante este ano.
Quanto ao download de games, apenas 1,5% dos entrevistados disseram que compraram algum jogo pelo celular nos últimos 30 dias. Entre pessoas de 15 a 24 anos, o percentual foi de 3,6%.

Operadoras

A pesquisa também detalhou o uso de SVAs por assinantes de cada operadora. De maneira geral, os resultados foram muito próximos, sem variações significativas. A campeã em uso de SMS foi a Oi: 63,4% dos entrevistados que eram assinantes da operadora disseram usar o serviço. A Oi também ficou em primeiro lugar na penetração de download de ringtones: 6,8%. No uso de MMS, de aplicações de vídeo e de download de imagens, os maiores índices foram da Claro: 5,2%, 0,5% e 4,4%, respectivamente. A TIM foi a melhor em download ou transferência de full tracks, com 5,3% de penetração. E a Vivo teve o melhor resultado em upload de conteúdo para sites de comunidades ou blogs: 1,2%. Em games, Claro e Oi ficaram empatadas na primeira posição, com 1,8% de penetração na base de cada uma.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS

Principal encontro do mercado de satélites brasileiro

31 de agosto a 1 de setembro
Royal Tulip Rio de Janeiro, RJ, Brasil
Top