OUTROS DESTAQUES
Mercado
CVM multa mais um executivo do Opportunity
quarta-feira, 26 de outubro de 2005 , 15h47 | POR REDAÇÃO

Pela segunda vez em pouco mais de um ano, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) multou um executivo ligado ao Opportunity: Arthur Carvalho foi multado em R$ 150 mil por uso de informações privilegiadas na negociação de valores mobiliários da Tele Centro Sul Participações (antigo nome da Brasil Telecom Participações) em 1999 quando era diretor financeiro da Techold. A decisão foi tomada por unanimidade pelo colegiado da autarquia no julgamento do inquérito 17/02, realizado na última terça-feira, 25. A Techold é controladora da Brasil Telecom Participações.
Em 1999, Carvalho era membro do conselho de administração da Tele Centro Sul Participações (TCS) e, ao mesmo tempo, diretor da Techold. Segundo o relatório da comissão de inquérito, ele teria passado à Techold, em dezembro daquele ano, informações sobre a TCS que seriam publicadas em fato relevante por esta empresa dias mais tarde. Antes da publicação, a Techold adquiriu um lote de 500 milhões de ações ordinárias da TCS, o que configura uso de informação privilegiada.
Os outros três ex-diretores da Techold que também eram acusados de participarem da irregularidade foram absolvidos por unanimidade no julgamento: Rodrigo Bhering Andrade, Verônica Valente Dantas e Wady Santos Jasmim.
Apesar de o relator do processo, o diretor da CVM Wladimir Castelo Branco, ter recomendado também uma multa de R$ 150 mil à Techold, a empresa foi absolvida por maioria de votos da acusação de prática não eqüitativa na negociação de ações. A autarquia preferiu não conceder entrevista sobre o resultado do julgamento.
Vale lembrar que no ano passado Carvalho e os demais executivos do Opportunity acusados chegaram a propor um termo de compromisso à CVM: queriam doar ?livros e revistas especializados em direito e finanças? para a biblioteca da autarquia em troca do arquivamento do inquérito. O colegiado da entidade recusou a proposta, devido à gravidade da acusação.

Outros processos

O outro inquérito da CVM que resultou em punição para executivos e empresas ligadas ao Opportunity foi o 08/01, julgado em setembro do ano passado. Nele, foram verificadas irregularidades na operação do Opportunity Fund, como a permissão de venda de cotas no Brasil e a demora na adaptação de seu material de divulgação às regras do Anexo IV. Pelo julgamento, foram punidos com multas que somaram R$ 480 mil: Opportunity Asset Management Ltda, Opportunity Asset Management Inc, Banco Opportunity S/A, Verônica Dantas e Dório Ferman. Além disso, o banco ABN Amro, que era o custodiante do Opportunity Fund quando ocorreram as irregularidades, foi multado em R$ 40 mil pelas falhas no material de divulgação.
Existe ainda um terceiro inquérito em curso na CVM contra o Opportunity: trata-se do 06/02, que apura a denúncia de que as empresas Parcom S.A. e Forpart S.A., ambas controladas pelo Opportunity Fund, teriam praticado ?garimpagem?, ou seja, compra e venda de ações no mercado não organizado, com papéis do Sistema Telebrás.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS

Principal encontro do mercado de satélites brasileiro

31 de agosto a 1 de setembro
Royal Tulip Rio de Janeiro, RJ, Brasil
Top