OUTROS DESTAQUES
Aquisições
Analistas ainda apostam em interesse da Telmex pela Telemar
quarta-feira, 26 de novembro de 2003 , 20h00 | POR REDAÇÃO

A Telmex é vista como a operadora interessada na Telemar por analistas do mercado de ações. É a opinião, por exemplo, de Roberta Kosaka de Oliveira, do Banco Brascan, em um relatório que circulou esta semana pelo mercado. ?A Telmex já demonstrou, pelos investimentos realizados em telefonia móvel via Telecom Américas, e pela recente aquisição da AT&T Latin America, que enxerga o Brasil como um mercado potencialmente interessante para expansão.?
Ocorre, porém, que a companhia mexicana também já manifestou interesse na Embratel. Pela legislação brasileira é uma ou outra. Não há chance de propriedade cruzada.
Tanto a analista do Brascan quanto Victor Martins, do Banco Safra, parecem acreditar que a aquisição da Telemar é um negócio mais interessante para os mexicanos. ?Acreditamos haver mais sinergias dos negócios celulares da Telecom Américas com o business de telefonia fixa da Telemar, além desta ser uma empresa de balanço mais robusto, e maior geradora de caixa?, ressalta Roberta Kossaka de Oliveira.

BNDES

A venda da participação do BNDES na Telemar é considerada como uma possibilidade apenas de médio prazo por analistas ouvidos por TELETIME News.
Para maximizar o preço dessa participação (25% da holding ou 4,43 % do capital total), o banco oficial teria que encontrar um interessado, de preferência uma operadora internacional de grande porte, disposto a pagar um prêmio pelo controle. Caso contrário, arrecadaria apenas o valor correspondente à cotação de mercado ? na melhor das hipóteses – R$ 700 milhões. Considerando-se apenas as ONs, que é o tipo de ação que o BNDES possui, o valor cairia para algo como R$ 550 milhões. Isso, sem levar em conta que, no curto prazo, o derrame de papéis poderia resultar em uma queda de cotações.
Vale observar que não pode ser um interessado qualquer. É preciso ser uma companhia bem aceita e articulada com o grupo de controle, do qual o BNDES, diga-se, não faz parte.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS
Não Eventos
Top