OUTROS DESTAQUES
Balanço financeiro
Lucro líquido da Ericsson cai 35% no último trimestre de 2014
terça-feira, 27 de janeiro de 2015 , 14h36 | POR REDAÇÃO

A Ericsson registrou recuo no lucro e com vendas praticamente estagnadas no último trimestre de 2014, segundo informou a companhia sueca nesta terça-feira, 27. De acordo com o balanço financeiro divulgado, o lucro líquido fechou o trimestre em 4,165 bilhões de coroas suecas (US$ 510,3 milhões), recuo de 35%. O ano fiscal inteiro ficou em 11,143 bilhões de coroas suecas (US$ 1,365 bilhão), queda de 8%. O recuo foi atribuído à diferença cambial e ao "menor lucro com juros do portfólio de ativos geradores de juros".

O lucro operacional fechou o trimestre em 6,302 bilhões de coroas suecas (US$ 772,1 milhões), queda de 30%. Nos quatro trimestres, o acumulado foi de 16,807 bilhões de coroas suecas (US$ 2,059 bilhões), queda de 6%. A área de redes foi responsável por 4,319 bilhões de coroas suecas (US$ 529,2 milhões, recuo de 26,31%) e 13,544 bilhões de coroas suecas (US$ 1,659 bilhão, aumento de 19,67%) no trimestre e no ano, respectivamente. Já a área de serviços globais totalizou 1,937 bilhão de coroas suecas (US$ 237,3 milhões, recuo de 7,19%) e 6,067 bilhões de coroas suecas (US$ 743,4 milhões, queda de 1,91%).

As vendas líquidas totalizaram 67,986 bilhões de coroas suecas (US$ 8,329 bilhões), aumento de 1%. No total de 2014, o valor ficou praticamente estagnado, com 227,983 bilhões de coroas (US$ 27,93 bilhões), 607 mil coroas suecas a mais do que em 2013.  A companhia atribuiu o desempenho à tendência de operadoras quererem "estabilizar o fluxo de caixa para financiar grandes aquisições e licitações de espectro".

As vendas líquidas por segmento mostraram que, embora tenha recuado 2% no comparativo de trimestres, a área de redes continuou a mais rentável, com 34,110 bilhões de coroas suecas (US$ 4,179 bilhões). No ano, esse mesmo segmento mostrou estabilidade, totalizando 117,487 bilhões de coroas suecas (US$ 14,39 bilhões). Já os serviços globais totalizaram entre outubro e dezembro do ano passado 29,777 bilhões de coroas suecas (US$ 3,648 bilhões), aumento de 10%. No ano, também ficou estável, com 97,659 bilhões (US$ 11,965 bilhões).

Por região, a América Latina somou 22,570 bilhões de coroas suecas (US$ 2,765 bilhões) no ano, aumento de 3%. A área que mais cresceu no período foi a Índia, com 25%, total de 7,702 bilhões (US$ 943,7 milhões). A América do Norte continuou a que mais vende, com 54,509 bilhões (US$ 6,678 bilhões), mas registrando queda de 8%. O maior recuo foi na região da África Subsaariana: 13%, total de 8,749 bilhões (US$ 1,072 bilhão).

Em comunicado, o CEO da fornecedora, Hans Vesterberg, afirmou que pretende melhorar a eficiência operacional da companhia. "O programa de custo e eficiência (…), com a ambição de chegar a economias de aproximadamente 9 bilhões de coroas suecas, totalmente efetivo durante 2017, está progredindo. Atividades para a descontinuação da área de modems estão inclusas no programa e estão adiantadas", disse ele.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS

Principal encontro do mercado de satélites brasileiro

31 de agosto a 1 de setembro
Royal Tulip Rio de Janeiro, RJ, Brasil
Top