OUTROS DESTAQUES
Internacional
Mesmo com 100% de pós-pagos, operadora evita 3G
sexta-feira, 27 de julho de 2007 , 16h45 | POR FERNANDO PAIVA

A SunCom Wireless é uma das seis operadoras celulares de Porto Rico. A maioria dos seus clientes é de alta renda: todos são pós-pagos e a receita média mensal por usuário (Arpu) é de US$ 55. Aparentemente, a operadora tem um perfil adequado para o lançamento de uma rede 3G. Porém, apesar de já estar autorizada a usar o espectro necessário para WCDMA, a SunCom Wireless prefere esperar até 2010 para lançar 3G. A decisão chama a atenção quando comparada com o cenário brasileiro, onde, embora a Arpu seja baixa e a maioria dos clientes está na base de pré-pagos, o lançamento de 3G em UMTS pode acontecer já em 2008. O presidente da SunCom em Porto Rico, Raúl Burgos, esteve no Brasil esta semana, para visitar as instalações da delegação porto-riquenha na vila dos jogos pan-americanos, e conversou com TELETIME News.
?Chegamos à conclusão de que esperar mais dois anos para lançar 3G fará muita diferença nos preços dos aparelhos e dos equipamentos. Além disso, dará tempo para o desenvolvimento de serviços de valor adicionado (SVAs) melhores para 3G?, explica Burgos. Ele conta que alguns de seus concorrentes em Porto Rico já lançaram 3G, mas como os preços dos aparelhos ainda são elevados, a cobertura é pequena e não há grande diferencial nos SVAs, a evolução da rede não pesou a favor delas até agora. Pelo contrário, a SunCom, que foi a quarta entrante no mercado, já ocupa o terceiro lugar e vem crescendo acima da média nacional, com aumento de 21% da base ano a ano. A empresa tem hoje 334 mil assinantes, o que representa 18% do mercado porto-riquenho.
Burgos, contudo, ressalta que existe uma diferença importante entre os mercados brasileiro e porto-riquenho que poderia justificar a adoção da 3G aqui mais cedo: a alta densidade populacional em cidades como São Paulo e Rio de Janeiro. ?A 3G pode ser uma solução para aumento de capacidade?, comenta. Vale lembrar também que as principais operadoras brasileiras são muito maiores que a SunCom em número de assinantes e o ganho de escala gerado por isso pode permitir uma redução de custo que justifique o lançamento da 3G aqui.

SMS

A Arpu de SVA da SunCom é de US$ 7/mês, o que representa 13% da receita total. Boa parte dela vem de mensagens de texto (SMS). Um detalhe curioso: a operadora cobra tanto pelo envio quanto pelo recebimento de mensagens de texto trocadas entre assinantes. Em ambos os casos, são cobrados US$ 0,10/SMS. O modelo foi adotado há aproximadamente um ano e meio. Antes disso, a empresa cobrava US$ 0,25 por mensagem enviada e o recebimento era gratuito. O fato de cobrar pelo recebimento não afetou negativamente o tráfego de SMS, provavelmente porque foi compensado com o barateamento do envio. E agora a operadora ganha com as mensagens que são enviadas de outras operadoras para seus assinantes. Em média, cada assinante da SunCom envia entre 20 e 25 mensagens de texto por mês, informou Burgos.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS

Principal encontro do mercado de satélites brasileiro

31 de agosto a 1 de setembro
Royal Tulip Rio de Janeiro, RJ, Brasil
Top