OUTROS DESTAQUES
Caso Opportunity
Acordo entre Dantas e italianos pode cair em 29 de abril
terça-feira, 28 de março de 2006 , 19h54 | POR REDAÇÃO

Opportunity, Citibank e fundos de pensão travam uma corrida contra o tempo nos bastidores das disputas judiciais em curso que pode ser determinante no desfecho das negociações sobre quem será ou não o controlador da Brasil Telecom no futuro. A data final para terminar a corrida é o dia 29 de abril. Trata-se da data em que o acordo firmado por Daniel Dantas com a Telecom Italia para vender, por cerca de US$ 450 milhões, suas ações na BrT, perderá a validade. Se estiver suspenso por liminar depois de um ano de celebrado, o acordo entre Daniel Dantas e os italianos não terá mais efeitos, e é exatamente isso que acontece nesse momento. Mantida essa situação até dia 29 de abril, a Telecom Italia não teria mais a obrigação de comprar as ações do Opportunity e poderia negociar livremente apenas a compra da participação dos fundos de pensão e do Citibank de forma conjunta na operadora de telefonia.
Dantas resiste. Na Justiça de Nova York, onde a execução do acordo com a Telecom Italia está suspensa por liminar desde março do ano passado, o grupo Opportunity pediu novamente na última segunda, 27, o direito de vender as suas ações para os italianos. Alega que não haveria mais razão para a proibição, já que o Citibank retomou o controle da operadora. Alega que suas ações nada têm a ver com os negócios do Citi e dos fundos, e que poderia vendê-las quando quisesse.

Benefício oculto

O argumento do banco norte-americano vai em sentido diferente. Alega que, ao vender suas ações, Dantas teria também vendido à Telecom Italia alguma outra coisa que ainda não está explícita. Acredita-se que seja a transferência dos poderes do "umbrella agreement", que é o acordo guarda-chuva pelo qual o Opportunity teria pleno controle das cadeias societárias onde fundos e Citi investem mesmo sem ter participação ou gestão. O acordo está, por enquanto, suspenso na Justiça, mas Dantas briga para reativá-lo e uma decisão, mesmo que temporária, pode sair a qualquer momento. De qualquer maneira, o grupo de Daniel Dantas está tentando derrubar as liminares em Nova York que o impediram de levar adiante os acordos com a Telecom Italia.

Umbrella

Nesta terça, 28, o juiz Lewis Kaplan, da justiça novaiorquina, decidiu manter a ordem que impede o grupo Opportunity de utilizar o acordo guarda-chuva (umbrella) para eventualmente retomar o controle da Brasil Telecom. A liminar, do dia 17, se mantém até o próximo dia 13 de abril, quando será novamente avaliada. Até lá, o Opportunity está autorizado apenas a cumprir com as obrigações processuais no caso do recurso que move na Justiça do Rio de Janeiro para tentar considerar válido o umbrella.

Assembléia

O conselho da Brasil Telecom decidiu incluir na ata de convocação da assembléia da operadora que será realizada ao final de abril o pedido para processar ex-administradores da companhia que tenham lesado a empresa. A assembléia é importante porque serão também avaliadas as contas da BrT referentes ao último ano, dos quais o Opportunity esteve nove meses no comando.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS

Principal encontro do mercado de satélites brasileiro

31 de agosto a 1 de setembro
Royal Tulip Rio de Janeiro, RJ, Brasil
Top