OUTROS DESTAQUES
Aquisições
Embratel estuda ir ao Cade e Anatel contra venda da Intelig a teles locais
sexta-feira, 28 de novembro de 2003 , 15h20 | POR REDAÇÃO

A Embratel estuda a possibilidade abrir processos na Anatel e no Cade para impedir a eventual venda da Intelig para um consórcio formado pela Telemar e Brasil Telecom. ?Trata-se de uma operação impossível de ser aprovada?, disse o diretor jurídico-regulatório da Embratel, Oscar Petersen.
A Embratel entende que a venda da Intelig para as concessionárias locais, diminuirá a competição na longa distância. ?Já são tão poucos os players nesse segmento, que a eliminação de um concorrente é muito perigosa, pois fortalece o monopólio das concessionárias locais", comentou a vice-presidente de marketing e assuntos externos da Embratel, Purificación Carpynteiro.
A executiva enxerga uma grande diferença entre a aquisição da Vésper pela Embratel e a possível venda da Intelig para Brasil Telecom e Telemar. Ela entende que no caso da venda da Vésper, o negócio é interessante para a competição, enquanto a venda da Intelig para as duas concessionárias não seria. ?Hoje, na região da Telemar por exemplo, há três empresas concorrendo em longa distância: Embratel, Intelig e a tele local. Se a Intelig for vendida para Telemar, passamos para um duopólio. É inaceitável.?, conclui.
A opinião de Purificación faz coro com a de José Carlos Cunha, ex-presidente da Intelig, e que atualmente está à frente da proposta de funcionários e investidores estrangeiros para a compra da espelho. Segundo José Carlos Cunha, seu consórcio de investidores tem uma proposta colocada e bem recebida pelos acionistas da Intelig, mas a principal credora da empresa, a Alcatel, estaria pressionando para que Telemar e BrT levem a disputa.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS
Não Eventos
Top