OUTROS DESTAQUES
Fornecedores
Empresas espanholas procuram parceiros no Brasil
quinta-feira, 30 de junho de 2005 , 20h41 | POR IVONE SANTANA

Um grupo de nove empresas espanholas, acompanhadas da Asociación de Empresas de Electrónica, Tecnologías de la Información y Telecomunicaciones de España (Aetic) visitou o Brasil, nesta semana, em busca de parceiros comerciais. São desenvolvedores de software, fabricantes de equipamentos para telecomunicações, radiodifusão, televisão e multimídia, consultoria em e-learning e produtores de componentes. A visita tem o apoio do Escritório Econômico e Comercial da Embaixada da Espanha. Vicente Baena, do departamento de comércio exterior da Aetic, disse que cada empresa agendou seus próprios compromissos e, portanto, vai demorar alguns dias até que haja informações sobre os resultados dos encontros, embora estejam satisfeitas com os contatos desenvolvidos.
A Aetic tem 300 associados diretos e mil indiretos (pequenas empresas agrupadas em entidades jurídicas que fazem parte da Aetic). No grupo de fabricantes de telecomunicações tem 49 associados, incluídas as grandes multinacionais, e entre os 26 operadores e provedores estão marcas como Vodafone, Telefónica, Xfera e Deutsche Telekom. O setor faturou € 65 milhões no ano passado. O grupo em visita ao Brasil é composto por pequenas e médias empresas interessadas em conhecer o mercado, abrir escritório no País, nomear distribuidores e atender o cliente final. Nenhuma delas tem capacidade para investir em fabricação local, adiantou Baena.
O Brasil, na opinião de Baena, oferece muitas oportunidades, mas também tem problemas. Os impostos são elevados para as empresas que querem exportar para o País; os importadores brasileiros sempre querem que os fornecedores invistam na fabricação local e, para completar, o euro está muito elevado em relação ao real, o que desfavorece a exportação das empresas espanholas. Este último, contudo, é um problema monetário da Europa como um todo, e não do Brasil, onde a moeda, aliás, está se valorizando. "Dizem que o Brasil é um mercado emergente, mas não é", opinou Baena. "Tem aqui todas as tecnologias, todas as marcas, todas as empresas estrangeiras estão aqui."

Quem é quem na missão espanhola

Esta é a terceira visita da entidade ao Brasil nos últimos anos. A missão é composta pelas empresas Rymsa (fabricante de antenas e componentes para telecomunicação e radiodifusão), Kroma Telecom (empresa de engenharia, desenvolvimento e fabricação de equipamentos para radiodifusão, especializada em vídeo/áudio analógico e digital), Grupo Doxa (faz consultoria e outsourcing para várias áreas, inclusive e-learning), Aeq (atua com desenvolvimento, fabricação e comercialização de equipamentos e sistemas para rádio, televisão e multimídia), Beru Microelectrónica (circuitos híbridos), Easy Products (fabricação de cabos), Intelligent Data (soluções para meios de pagamento e transações eletrônicas e de segurança), Previfor (desenvolvimento de software e simuladores de realidade virtual para formação de trabalhadores em maquinaria industrial) e Tool (software de engenharia e construção).

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS
Não Eventos
Top