OUTROS DESTAQUES
Conflito entre sócios
Juiz de NY vê "falta de boa fé" em atos de Dantas
sexta-feira, 30 de setembro de 2005 , 03h09 | POR SAMUEL POSSEBON

Daniel Dantas está se enrolando cada vez mais frente à justiça de Nova York, onde é processado pelo Citibank. O juiz Lewis Kaplan, que conduz o caso, mostra a cada nova decisão mais e mais impaciência com os atos do grupo Opportunity e com as teses apresentadas pela defesa de Dantas no processo de indenização movido pelo Citi por gestão fraudulenta, quebra de dever fiduciário e outras acusações. Na quinta, 29, Kaplan deu uma ordem expressa a Dantas e a qualquer pessoa com alguma ligação com o Opportunity para que não tomasse nenhuma medida que pudesse impedir a assembléia do dia 30. Kaplan chegou a comparar a situação vivida pelos fundos e pelo Citi contra Daniel Dantas com a Segunda Guerra Mundial.
O Citibank procurou o juiz de Nova York para informar sobre a tentativa de cancelamento da AGE feita pela Brasil Telecom S/A, cancelamento esse baseado na sugestão feita ao TCU pelo senador Leomar Quintanilha (PMDB/GO), pedido, aliás, negado pelo Tribunal de Contas.
O Citi argumentou que a decisão de suspender a reunião foi tomada justamente pelos membros indicados pelo Opportunity, sem o aval dos demais conselheiros, o que desrespeitaria ordem anterior de Kaplan. Os advogados de Dantas, então, afirmaram em Nova York que o Opportunity não tomou nenhum passo para tentar impedir a substituição de conselheiros em nenhum dos níveis da cadeia societária, que os atos dos conselheiros foram completamente autônomos e que o Opportunity não se comunica com eles e que, finalmente, as mudanças de conselhos em toda a cadeia estavam acontecendo normalmente.

Falta de boa fé

"Durante o período de 1941 a 1945 as tropas norte-americanas chegaram no Japão, o que é muito diferente de dizer que não houve resistência contra isso", afirmou Kaplan. Mais adiante, durante a audiência, Kaplan voltou a fazer comparações com uma situação de guerra: "Os registros mostram claramente que o Sr. Dantas tem resistido à sua remoção da posição de controle na Brasil Telecom (…) com o mesmo fanatismo que as tropas norte-americanas enfrentaram na marcha pelo Pacífico durante quatro anos. Ele (Dantas) tem tirado vantagens de todas as maneiras possíveis imagináveis pela mente humana, sejam elas legais ou não. (…) Ele tem se engajado continuamente em um comportamento obstrutivo que, em minha visão, constitui manifestação bruta de abuso de seus deveres fiduciários. (…) Tenho poucas dúvidas de que ele tenha agido em um instinto de auto preservação e com uma completa falta de boa fé ao longo desse processo", disse Kaplan.
A situação de Dantas começa a ficar delicada porque, apesar de ele ter escapado uma vez de ser considerado em "contempt of court" (desrespeito a uma ordem judicial), o Citibank pode voltar a pedir esse enquadramento, e o próprio juiz Kaplan insinuou isso ao ver o movimento do Opportunity para tentar impedir a AGE.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS

Principal encontro do mercado de satélites brasileiro

31 de agosto a 1 de setembro
Royal Tulip Rio de Janeiro, RJ, Brasil
Top