OUTROS DESTAQUES
Infra-estrutura
Satélite da SES New Skies explode no lançamento
quarta-feira, 31 de janeiro de 2007 , 20h16 | POR IVONE SANTANA

O foguete Sea Launch Zenit-3SL da SES New Skies explodiu na plataforma marítima de lançamento, no Oceano Pacífico, na noite de terça-feira, 30, destruindo o satélite NSS-8. Nem a Boeing, que construiu o satélite e é uma das donas da plataforma, nem a SES New Skies informaram o que teria causado o acidente. O diretor comercial da SES no Brasil, Jurandir Pitsch, disse que o combustível do foguete ainda queimava na plataforma, na noite desta quarta-feira, mas só uma investigação oficial determinará o que pode ter causado a explosão. Os prejuízos ainda não foram revelados.
A SES transmitia ao vivo em seu site as imagens do lançamento, mas suspendeu a transmissão logo após o acidente. As empresas informaram que não havia ninguém na plataforma e, portanto, não houve vítimas. O lançamento era observado pelos técnicos a bordo de um navio ancorado a uma distância segura.

Impacto para Brasil

O satélite NSS-8 daria cobertura a dois terços da população mundial, atendendo a países da Europa, África, Oriente Médio, Índia e Ásia, com serviços que incluem comunicações corporativas, operações governamentais e militares, internet banda larga e aplicações de broadcast. Apesar de o Brasil estar fora da área coberta, foi afetado indiretamente pelo acidente, explica Pitsch. O NSS-8 carregava 56 transponders banda C e 36 banda Ku, e substituiria o atual satélite NSS-703 na posição 57º Leste, enquanto o NSS-703 substituiria o NSS-5. Além disto, proveria capacidade para expansão, pois o NSS-703 continuará em órbita até 2009, quando será lançado o NSS-9, já em fabricação. Com o acidente, outro satélite irá para o lugar do NSS-5. O NSS-703 ficaria no meio do Atlântico, servindo de ponte entre as Américas (inclusive o Brasil) e a África. Como isto não mais acontecerá, haverá menos flexibilidade para alocação de capacidade na frota que atende o Brasil. Mas Pitsch lembra que a empresa conta com 44 satélites atualmente em órbita e que serão feitas manobras de contingência para não afetar a capacidade e os clientes. Ainda não se sabe como ficarão outros lançamentos da empresa que estavam programados para 2007.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS
Não Eventos
Top